Veja Também

 

 
 
 
 
Notícias - Vale do São Lourenço
 
Política: Política e Administração Pública em Jaciara - MT

Postado em: 05/09/2017 15:36:00   Atualizado: 05/09/2017 15:41:53
Divulgação
Conta a história que Hiram, fenício Rei de Tiro, que viveu aproximadamente de 969 a 936 antes de Cristo, aludido pelo profeta Samuel na Bíblia, Segundo Livro, 5:11, havia herdado um reino pequeno e muito pobre. Seu país era pobre em riquezas naturais. Seu povo, pobre em cultura, sequer sabia agricultar com eficiência. Bem assim, também não apresentava destreza na arte da guerra.
Pensando em como fazer progredir o país e o povo, verificou Hiram que seu reino era rico em madeira. Suas florestas dispunham de excelentes reservas, sobretudo, de Cedro do Líbano.
No entanto, ainda que pudesse extrair toda a madeira e vende-la, não venceria a pobreza de seu povo.
Veio-lhe então à mente uma ideia a princípio genial, embora hoje pareça óbvia. Ao invés de vender madeira bruta, criou oficinas de carpintaria e formou os melhores carpinteiros, artesãos da madeira, escultores e construtores de toda a sua época.
Vendendo sua madeira beneficiada, sob a forma de móveis, esculturas, adornos para templo, peças de construção, Hiram enriqueceu seu reino.
Seus artesãos e construtores encarregaram-se, inclusive, da construção do grande Templo de Salomão.
Um líder que viveu apenas aproximados 33 (trinta e três) anos e uma ideia que hoje parece óbvia, na época foram responsáveis pelo enriquecimento e pela prosperidade de toda uma nação. E não precisaram sequer guerrear, como faziam os povos de então.
Não é preciso dizer que Jaciara ainda não encontrou esse grande líder. Os fatos falam por si. Temos riquezas naturais. Temos terras férteis e próprias para agricultura. Temos rios, cascatas, águas quentes, potencial hídrico energético, localização privilegiada, acesso direto e por rodovia bem pavimentada para a capital do Estado. Temos, enfim, todas as condições necessárias para crescer e progredir como cresceram as grandes cidades do Estado de Mato Grosso. Mas não crescemos!
Em um país de governo democrático, como é o nosso, a política e a administração andam sempre de mãos dadas. O grande patrimônio de um administrador público é sua credibilidade junto ao seu eleitorado. Sem essa credibilidade; sem essa consideração popular, resta impossível a realização da construção de um bom projeto político e ou administrativo.
Bertolt Brecht (nascido em fevereiro de 1898 e falecido em agosto de 1956), literato, pensador, filósofo, dramaturgo e poeta alemão, escreveu que o maior de todos os analfabetos é o analfabeto político, que estufa o peito e bate nele dizendo-se apolítico e que odeia política, com orgulho, pois não sabe o imbecil que de sua ignorância e de sua inércia nascem a prostituta, o menor abandonado, a ausência de cultura, de trabalho digno, de segurança, de moradia, de saúde. Nasce, enfim, o privilégio, que consiste na autorização para fazer o que a Lei proíbe ou não autoriza, ou para não ser obrigado a fazer aquilo que a Lei ordena. O privilégio é a maior fonte dos males sociais.
Ao realizar sua campanha política, o atual prefeito de Jaciara, Dr. Abduljabar Galvin Mohammad sensibilizou o povo de Jaciara com promessas de choque de gestão administrativa; diminuição do aparelhamento municipal (diminuição do número de funcionários contratados sem concurso) e melhoria da eficiência dos serviços públicos municipais; construção de um novo modelo econômico, capaz de gerar trabalho e renda para os cidadãos.
O então candidato levava sempre consigo, onde quer que fosse, o ex vereador e ex Secretário de Finanças Municipal Cláudio Ximenes Lopes, que dizia que seria seu “primeiro assessor”. Uma espécie de Conselheiro, em face, notadamente, da idade precoce do candidato.
O Sr, Cláudio Ximenes, sabe a população de Jaciara, é contabilista de excelência, homem público experiente e conta idade que o permite ser classificado como alguém cultural e socialmente maduro. Submetido à agressão de seus rivais políticos, foi acionado judicialmente e provou-se isento de qualquer conduta ímproba ou inidônea, profissional ou moralmente, em toda sua carreira. Quem o conhece melhor sabe que o Sr. Cláudio Ximenes Lopes, além de profissional capaz e de homem público impoluto, é um idealista.
Não são poucos os eleitores e as entidades da sociedade organizada que creram nas promessas de campanha do prefeito Abduljabar Galvin Mohammad, porque avalizadas pelo ex secretário de Finanças Cláudio Ximenes Lopes.
A exoneração do Sr. Cláudio Ximenes Lopes da Prefeitura retira credibilidade ao projeto administrativo e político proposto pelo prefeito Abduljabar Galvin Mohammad, notadamente porque se sabe que permanecem junto ao prefeito, influências (pessoas) que não gozam de tão bom prestígio junto à sociedade. São pessoas que estão muito longe de serem idealistas. Pelo contrário, seu pragmatismo repetitivo da política obsoleta que conduziu o Brasil à recessão em que se encontra chega a ser assustador. Em falta dos idealistas, o que se encontra são os reacionários; a má mesmice.
Tem-se, por um lado, a exoneração do ex secretário de finanças e, de outro, a contratação de serviços terceirizados e o aumento do número de funcionários comissionados, a par da prestação de serviços que continuam deixando muito a desejar, em vários setores, tanto em quantidade quanto em qualidade.
Esclarecendo melhor nossa afirmação: a Prefeitura Municipal de Jaciara ainda tem funcionários demais e presta serviços de menos e com pouca qualidade. Se instados pelo Sr. Prefeito, esclareceremos nossa assertiva em ocasião futura, por meio deste mesmo jornal.
Na falta de um grande líder, com ideia ou ideias geniais para fazer progredir seu povo, por meio do desenvolvimento de uma economia adequada para as condições do nosso povo de Jaciara, como fizera outrora o Rei Hiram pelo seu povo em Tiro, espera-se que nosso prefeito pelo menos seja capaz de promover boa administração, cercando-se de servidores capazes e idôneos a apartando-se dos maus. A construção de um projeto político e administrativo bom ou pelo menos aceitável demanda tais providências.
Para nosso bem, que infinita sabedoria inspire nosso prefeito!
É o que desejamos! É o que pedimos!
Fonte: Ednelson Zuliani Bello – Cidadão Jaciarense, por força do Decreto Legislativo nº 98, de 17/12/2010